domingo, março 29, 2009

Convite

Abro estradas nos meus poros e te deixo navegar nas minhas veias. Possuo explosões com teu toque, terremotos com teu olhar que me diz sem som e sem nada. Guardo a sensação da tua mão encostando na minha e do beijo que te dei pra guardar, dentro da palma da tua mão. Sinto a tua pele na ponta dos meus dedos e me deixo embriagar com tuas risadas sem fim, tão gostosas, tão altas.
Quer vir passear em mim? Conhecer minhas estradas amarelas, meus campos que de tão verdes são dourados, minhas águas cristalinas com rios e mares cheio de estrelas brilhantes? É fácil, é só você fechar os olhos, respirar fundo, fazer silêncio e segurar minha mão.
Clichê. Sabe?


3 comentários:

Rômulo Wehling disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Yumi disse...

Ah, entrei de cabeça no texto. Adorei, poxa :)

Leonardo Marcondes disse...

Sei, e odeio não poder compartilhar. (Desabafo)