segunda-feira, maio 17, 2010

O rio atrás dos olhos

Eu sinto que eu tenho um rio inteiro de lágrimas pra chorar, mas não tenho coragem de pedir pra algum ombro me segurar, porque eu sei que é chato ficar de choramingos. Então sabe o que eu faço? Eu fujo. Fujo e seguro tudo o que for nó apertando na garganta e não conto nada do que sinto pra ninguém, só pra mim e só nos suspiros pesados que meu pulmão dá antes de dormir. Converso com o anjos por sonho e depois no outro dia o rio ainda está lá, pronto pra estourar a barragem de nós que o segura. Então será que eu sou o quê? Uma boba que procura nem sabe o quê e que foge dos ombros que podiam aliviar a cheia desse rio?


3 comentários:

jefhcardoso disse...

Gabriela, belíssima postagem. Porém é sempre bom contar com alguém para ouvir nossas lamúrias.
Desde as margens do Rio do Carmo saio a convidar meus amigos do mundo, para que vejam a poesia que falo, o conto que conto e a crônica que narro. Você não conhece o Rio do Carmo? Não lhe culpo de nada. É tão pequenino o meu lugar. Mas ainda assim eu falo, pois é mundo, e quando se é mundo nunca falta o que falar.

Abraço do Jefhcardoso e lhe espero no http://jefhcardoso.blogspot.com.

Luara disse...

gostei dos teus desabafos.

;)


beijos


http://vivaparasempre.wordpress.com/

Jack disse...

sou eu sim. : ) é muito bom saber que você apreciou. O blog é só diversão mas sempre é bom receber visitas. Espero que continue a visata-lo e indique para amigos! rsrs. então como o descobriu?

tive de me comunicar através de seu blog porque não deu para postar comentário no seu orkut (por causa dos bloqueios)