sexta-feira, outubro 19, 2007

Ai, Caio

Sabe aquela frase "A lucidez me leva às raias da loucura", que é da Elis Regina e tudo e tal? Tá, tu não sabe... mas tem essa frase num corredor da Casa de Cultura Mário Quintana, em Porto Alegre. En-fim... não é exatamente disso que eu quero falar hoje... é que essa frase me veio na cabeça essa manhã. Mas ela me veio de outra forma. Ela me veio explicar o que aconteceu comigo ontem... foi assim: "A paixão me leva às raias da loucura". Sim, a PAIXÃO!
Eu saí de casa ontem, pra ir pra faculdade, com uma vontade tremenda de beber beber beber e beber... feio, né? Mas eu tinha motivo! Toda essa paixão me consumindo e eu precisava fazer alguma coisa pra encontrar com ela (no caso, a paixão, né!)... Chama-se Caio. Assim, esse nome pequenininho mas que conseguiu me mudar em tão pouco tempo. Porque conheci ele no ano passado, mas só fui dar bola mesmo esse ano há uns dois (ou até menos) meses.
Bacardi e vodka. E não eram dois copos normais... eram dois baldes de caipirinha! Eu sei que é feio e tudo, mas foi tão necessário!
Troquei nomes, mas porque são parecidos, eu juro! Tudo tinha "M", no começo ou no meio e terminava com "él" ou coisa parecida... Mas não quero fugir do meu foco, o Caio. Homanegem, saudade, vontade ou qualquer coisa.. não saberia explicar. Fato: deisci do ônibus e deitei no meio da rua... é!! Meio-da-rua! Sabe a rua? e aí tem o meio dela... foi lá que eu deitei. Porque eu nem conseguia levantar mesmo... tudo girava e a náusea e o Caio e tudo... liguei pra pessoa especial porque me deu vontade e pronto! Tadinho, deve ter ido dormir todo preocupado.. ainda mais que eu disse: -ai, uma luz aqui... an? a polícia!! A polícia tá aqui...
Gente!! Não sei se eu sentia vergonha ou felicidade de ver alguém pra me ajudar a levantar... O policial chegou perto, perguntou se estava tudo bem e onde eu morava... e eu lembro exatamente do que eu disse pra ele: Olha seu guarda, eu tô bem! Eu só precisava lavar um pouco a alma hoje.. porque sabe quando tu pre-ci-sa fazer alguma coisa? Aí tu vai lá e faz e pronto! Eu não bebo sempre... mas hoje eu quis sentir o Caio... sabe? O Caio é minha paixão e tem sido minha companhia... porque eu sou sozinha, tu sabia? Eu até tenho muitos amigos... mas não sei se as pessoas compreendem tudo como o Caio. E sabia que o Caio já morreu? É!! Morreu em 97! Ele teve AIDS, o coitado... não que ele fosse coitado... mas é um dó, né? O bixo era muito bom! Nossa!! E me entende tanto! Porque eu sou sozinha, né?! E o policial: Tá, mas onde tu mora? E eu: alí na esquina ó.. to pertinho de casa! E ele: Tu sabe que nós estamos aqui pra ajudar, né? E eu: Eu sei... e eu fico feliz de vocês ajudarem e tudo! Mas eu to legal.. só senti vontade de deitar e eu estava falando com meu namorado.. (aí o telefone toca, o Fê pergunta se tá tudo bem e eu digo que sim, que a polícia estava alí e estavam me ajudando e que era pra não se preocupar que eu ligava depois, mandei beijo e pronto). E o policial: Tu queres ajuda pra chegar em casa? E eu: Não... eu to bem!! Brigada mesmo!! E ele: Mas se cuida! E eu: eu me cuido.. não precisa se preocupar! Hoje eu me encontrei com o Caio, mas fica tranquilo que não faço mais isso... deixa ele lá, né? E o policial: É! Deixa ele e vá pra casa, tu.
Aí eu fui, andando meio lento, meio rápido, com o cotovelo maxucado e um pouco da mão esquerda também (porque quando eu fui levantar do chão, eu não conseguia e me ralei toda).
Aí eu fui pro banheiro, vomitei vomitei vomitei. Abri o chuveiro, não sei como e tudo porque eu realmente não estava sã... tomei banho com sabonete e tudo e fechei o chuveiro, deitei no chão molhado e dormi. Acordei depois de uns 5 minutinhos, só... com frio. Levantei e escovei os dentes depois fui pro quarto... não sei como eu arrumei a cama e vomitei de novo... deitei e dormi até 6 e pouca da manhã, quando fui perceber que ainda estava tonta do bacardi e da vodka... tomei água água água... escovei os dentes e voltei pra cama... o enjoô voltou e eu levantei pra tomar banho as 7:22. Tomei banho, dei "oi" pra mãe, lá da janela do meu quarto e desci pra tomar café. Nem tomei, mas tentei... não descia.. eu só queria água e água e água. Bebi água e subi pra escovar os dentes de novo e tirar o gosto do café da boca... vomitei de novo e aí tudo foi parando de rodar. Liguei o som da Camila (e que saudade dela, hein!), coloquei o cd da Maria Rita, porque eu precisava escutar ela cantando pra mim...
Arrumei cama, atendi telefone e tudo... e to assim, cheia de devaneios na cabeça e um pouco tonta ainda...
Mas se eu precisava lavar minha alma, eu lavei! Não vou mais fazer isso porque além de feio faz mal... mas eu lavei e agora deu.
Vou dar férias pro Caio, porque eu vi que nosso encontro foi o suficiente pra matar essa saudade esquisita dele...
E por enquanto é isso... deu vontade de colocar aqui e pronto.

Um comentário:

Ni disse...

O vômito eram as coisas que não valem a pena. Tu vomitou o que tinha de ruim aí dentro, e eu sei, não tem nada de ruim aí dentro. Nada teu, mas tem certas coisas que chegam e botam a coisa ruim e um dia, um dia, a gente precisa mais é vomitar.
A água do chuveiro purificou, o Caio tá no canto dele e eu sei, eu sei muito, que tá olhando por nós. E lá, no cantinho dele, sabe calado que as nossas paixões têm muito dele pr'amar. Paixão pelas rosas brotando (lembra do vídeo?), pelo céu azul, até pelo balde de Bacardi e Vodka. Pelo chão da rua, pelo celular sendo usado, pelas vozesinhas que a gente escuta do outro lado (e que sempre me fazem cair de vez na tal da loucura, sempre)... Paixão de viver.

Tu me purificou um pouquinho ontem também, queria ter te abraçado e vomitado junto todas as náuseas presas, que nada têm de feio. Têm é de bonito, porque a bebida torna a gente mais bonitos, mais humanos, aé, eu diria. E tem humanidade demais aí dentro. Ou dentro da gente, ou pelo Caio.

Bendito moço de óculos e voz calma que uniu a gente mais ainda. bendito seja, descanse em paz e não largue de fazer a gente viver.

Te amo e deu vontade de escrever tudo isso aqui e pronto.